SUPLEMENTOS CURIOSIDADES O QUE É ? BENEFÍCIOS

Doenças reumáticas: diferença entre artrite, tendinite e artrose

Doenças reumáticas: diferença entre artrite, tendinite e artrose

De acordo com a Sociedade Brasileira de Reumatologia, cerca de 20 milhões de brasileiros sofrem com doenças reumáticas. Mas o que exatamente é o reumatismo? Já sabemos que a característica mais comum entre esse vasto grupo de patologias é a dor causada nos ligamentos e outras estruturas. Porém, poucos conhecem as reais diferenças entre cada uma – e como aliviar os sintomas de forma natural. Descubra tudo neste post!

As doenças reumáticas mais conhecidas são a artrite, a tendinite e a artrose. Não é normal sentir dificuldade e incômodo na movimentação dos membros superiores, muito menos inchaços. É um vestígio de que algo na saúde claramente não anda bem! Os sintomas podem ser parecidos, mas existem particularidades importantes.

Resumidamente, tendinite é a inflamação dos tendões (tecidos que ligam os músculos aos ossos). A artrite consiste na inflamação das articulações, ou seja, as “juntas” entre dois ossos. Diferente das duas, a artrose é o desgaste das cartilagens nas articulações, podendo ou não causar inflamação. Saiba mais:

Artrite

Ainda não descobriram a causa exata da artrite reumatoide. Existe uma série de fatores, mas sabe-se que é uma doença autoimune e inflamatória. Ocorre uma alteração na resposta imunológica, inflamando a membrana da articulação, o que gera danos na cartilagem e no osso; consequentemente, destruindo a articulação.

Aproximadamente 1% da população mundial possui esse problema, sendo pelo menos 2 milhões de brasileiros. A patologia atinge as articulações das mãos, punhos e pés. Tem como consequência dores, rigidez articular, deformidades progressivas, desgaste ósseo e incapacidade funcional. O paciente pode ter desafios até para realizar tarefas simples como escovar os dentes ou segurar um copo d’água. A incidência da artrite aumenta com a idade e as mulheres são três vezes mais afetadas do que os homens. O público feminino é acometido com mais frequência por possuir uma maior tendência a produzir autoanticorpos, que atingem o auge da produção durante o período fértil, reduzindo depois da menopausa.

O tratamento é realizado de acordo com cada pessoa e o grau da doença. Contudo, começa com fisioterapia e exercícios físicos em academias terapêuticas especializadas, que são indispensáveis. Fazendo uso contínuo das medicações de base (caso seja decidido) e acompanhamento médico regular, o paciente consegue controlar e diminuir, além de melhorar a função articular. O objetivo é, também, prevenir o surgimento de deformidades piores e melhorar a qualidade de vida. O suplemento natural de magnésio pode ser muito útil no alívio da dor.

Tendinite

A tendinite ocorre quando há inflamação ou inchaço no tendão, fibra que liga o músculo ao osso. Apesar de ser possível em qualquer parte do corpo, é mais comum o problema aparecer nos punhos, joelhos, cotovelos, ombros, dedos e tornozelos. Seu principal sintoma é uma dor intensa na realização de atividades corriqueiras.

Podendo ter causas diversas, essa doença surge pela falta de alongamento muscular, movimentos repetitivos e até uma postura inadequada. Se você passa muito tempo sentado na frente do computador, atenção para a dica: tire um momento do dia para se alongar! A idade é um fator de risco, já que a circulação sanguínea do tendão vai perdendo a força com o passar dos anos. O estresse também gera contrações nos músculos que danificam os tendões, inflamando-os.

A patologia é tratada com a utilização de anti-inflamatórios e bolsas de gelo, repouso absoluto da parte afetada e fisioterapia. Existem alguns exercícios para fazer em casa que aliviam as dores. Suplementar magnésio também é um ótimo complemento.

Artrose

Por fim, a origem da artrose não é totalmente conhecida. O que se sabe é que a degeneração nas articulações pode ser causada pelo excesso de forças no local e falha do metabolismo articular. Além de ser agravada com certos estilos de vidas e ocupações. Essa doença musculoesquelética se caracteriza pela deterioração da cartilagem articular, gerando como reação uma formação óssea nas margens articulares. O problema é uma das raízes mais habituais de dependência e limitação funcional. Mais comum a partir dos 40 anos de idade, afeta aproximadamente 20% da população mundial.

Assim como os outros tipos de reumatismo, possui um tratamento dividido entre medicamentoso e não-medicamentoso. Seu objetivo é aliviar a dor, manter a função articular, melhorar a qualidade de vida do paciente e facilitar suas tarefas diárias. As cápsulas de magnésio também são grandes aliadas para se somar aos cuidados convencionais.

Magnésio Quelato: aliado natural das doenças reumáticas

Os tratamentos da maioria dos tipos de doenças reumáticas são feitos por uma equipe multidisciplinar, unindo medicina, fisioterapia, exercícios físicos orientados e psicologia. Em alguns casos, a doença é crônica e não tem uma cura específica, controlando-se os sintomas para uma maior qualidade de vida. Você sabia que existem alternativas naturais para reduzir as dores?

O Magnésio, maestro dos minerais, é uma ótima opção para ajudar a aliviar os sintomas. Essencial para a nossa saúde, tem alto poder de ação no organismo e deve ser suplementado diariamente. O Brasil é classificado como um país com solo pobre em Magnésio, ou seja, os alimentos que o contém possuem uma quantidade muito inferior ao consumo ideal. O Magnésio Quelato é sua forma com melhor absorção, sendo 4 vezes maior e biodisponível. É extremamente concentrado e garante que o corpo irá suprir as quantidades que necessita.

A suplementação do mineral, além de auxiliar no tratamento, previne mais de 300 enfermidades causadas pelo reumatismo, incluindo as três citadas. Ele atua diretamente no trânsito de cálcio pelo corpo, ajuda a vitamina D a fixar o cálcio nos ossos e melhora os estados de inflamação. Também evita a perda óssea e age contra a dor, sendo um analgésico natural. Entre contato conosco clicando aqui!

Você pode gostar