SUPLEMENTOS MAGNÉSIO CURIOSIDADES O QUE É ? BENEFÍCIOS

Serotonina e melatonina: qual é a diferença entre os hormônios?

Serotonina e melatonina: qual é a diferença entre os hormônios?

Hormônios essenciais para o nosso bem-estar, a serotonina e a melatonina são neurotransmissores que agem como mensageiros químicos no cérebro – regulando o humor e o ciclo do sono. Quando estão deficientes no corpo, trazem diversos distúrbios emocionais e problemas para dormir. Apesar de super conhecidas no mundo saudável, ainda ocorrem confusões entre elas e suas reais funções. Que tal aprender a diferenciá-las e descobrir seus benefícios?

Pelo fato de não serem produzidos sozinhos no organismo, é preciso se alimentar corretamente. Em alguns casos, faz-se necessário suplementar algumas vitaminas e minerais para garantir níveis equilibrados dos neurotransmissores. As vantagens para a saúde são incontáveis e estão relacionadas diretamente ao sistema nervoso. Porém, esses hormônios desempenham diversos papéis importantíssimos em todo o corpo. Saiba mais:

Serotonina

Neurotransmissor atuante no sistema nervoso, a serotonina ou 5-hidroxitriptamina (5-HT) equilibra o humor, sono, apetite, temperatura e movimentos corporais… Sensibilidade a dores, funções intelectuais, ritmo cardíaco e outras funções biológicas. É o famoso hormônio do bem-estar. Sua falta pode ocasionar problemas no humor, dificuldades no sono, ansiedade, depressão e fome desmedida.

Está disponível nos alimentos ricos em triptofano, por exemplo: banana, tomate, abacaxi, chocolate amargo, vinho tinto, mel, cereais, grão de bico, laticínios e peixes. Exercícios físicos também auxiliam muito na produção de serotonina. A baixa concentração pode gerar mau humor matinal, cansaço e sonolência durante o dia, transtornos de memória e dificuldades para se concentrar/aprender.

Outros sintomas como irritabilidade, falta de paciência e desejo de comer toda hora (principalmente doces) também são comuns. É comprovado que a produção de serotonina está devidamente ligada com a quantidade de luz, principalmente solar. Quanto mais tempo de contato com a luz do sol e maior for sua intensidade, maior será a produção e liberação de serotonina.

Melatonina

Já a melatonina é um neurotransmissor, produzido pela glândula pineal, que regula todos os nossos ciclos do sono. Ao contrário da serotonina, esse hormônio é fabricado naturalmente pelo organismo quando anoitece, como reação ao escuro. Quanto mais o corpo envelhece, menos melatonina ele produz, reduzindo a qualidade e o tempo de descanso. Sua falta pode gerar insônia ou sono muito leve. Os aparelhos que emitem luminosidade como celulares, computadores e televisões também prejudicam a fabricação de melatonina.

Alimentos como aveia, banana, abacaxi, aspargos, amendoim, nozes, cebola, gengibre, arroz, soja, ovos e algumas sementes ajudam o nosso sistema a produzir melatonina de forma natural. A diminuição da quantidade de horas que um indivíduo dorme, causada pela deficiência de melatonina, gera diversas consequências problemáticas no organismo.

Quando a qualidade do sono é pobre, o corpo reduz sua capacidade de queimar calorias e o apetite por comidas gordurosas é aumentado. A carência desse neurotransmissor também pode aumentar o risco de câncer de mama e derrames cerebrais. Além de elevar as chances de impotência sexual e desencadear sintomas de TDAH.

Benefícios dos dois hormônios

A serotonina e a melatonina equilibradas no organismo oferecem inúmeros benefícios para a saúde, como melhora no humor e na qualidade do sono, redução do risco de insônia e diminuição do estresse e ansiedade. Além disso, esses hormônios acalmam e ajudam no relaxamento, combatem a depressão e promovem o bem-estar de todo o nosso corpo.

Também auxiliam no bom funcionamento dos sistemas digestivo e circulatório. Porém, atenção! Seu uso exagerado por meio de medicamentos como antidepressivos podem causar náuseas, vômitos, diarreias, dores de cabeça e crises de hipertensão. É importante mantê-los regulados na medida certa.

Uma das necessidades fisiológicas do corpo é dormir, sendo o momento crucial em que as energias são repostas. Deve-se ficar atento ao cuidado com o sono, melhorando, assim, a qualidade de vida. Acordar com a produção de serotonina alterada já faz com que, ao final do dia, a de melatonina também seja modificada. Isso desregula o sono da noite seguinte.

Magnésio Quelato: aliado natural dos hormônios neurotransmissores

A mudança de hábitos é o primeiro passo. Porém, alguns grupos de pessoas não conseguem produzir essas substâncias na quantidade suficiente para promover um bom sono. Idosos, indivíduos que trabalham durante a noite, viajantes, notívagos e até quem possui alguns graus de cegueira são os mais afetados pela falta de serotonina e melatonina. É aí que entra a suplementação! Você sabia que existem alternativas naturais para estimular a fabricação desses neurotransmissores?

O Magnésio, maestro dos minerais, é uma ótima opção para aumentar a densidade das sinapses cerebrais e, consequentemente, melhorar os processos do organismo. Essencial para a nossa saúde, tem alto poder de ação no organismo e deve ser suplementado diariamente. O Brasil é classificado como um país com solo pobre em Magnésio. Ou seja, os alimentos que o contém possuem uma quantidade muito inferior ao consumo ideal.

O Magnésio Quelato é sua forma com melhor absorção, sendo 4 vezes maior e biodisponível. É extremamente concentrado e garante que o corpo irá suprir as quantidades que necessita. Entre contato conosco clicando aqui!

Você pode gostar