BENEFÍCIOS CURIOSIDADES ENTREVISTAS MAGNÉSIO O QUE É ? PARA MULHERES SUPLEMENTOS VITAMINA D3

MANUAL DA ENXAQUECA: TUDO QUE VOCÊ PRECISA SABER!

A enxaqueca é uma doença terrível. Este manual da enxaqueca: possui tudo o que você precisa saber para reconhecer os gatilhos e, possivelmente evitá-los.

MANUAL DA ENXAQUECA: TUDO QUE VOCÊ PRECISA SABER!

Sabe aquela dor de cabeça insuportável que persiste por dias?! Pois bem, essa é a tal da enxaqueca, um mal que acomete muita gente. O resultado disso: vem a dor e lá se vai o foco — Errado é ignorar essa doença, achando que ela vai simplesmente sumir com o tempo. Por isso, é importante entender esse problema, para então, reorganizar a rotina. Este manual da enxaqueca: possui tudo o que você precisa saber para reconhecer os gatilhos e, possivelmente evitá-los.

Além disso, unir esforços de uma vida saudável com o uso do Magnésio quelato e da Vitamina D,  coopera diretamente para a melhora geral da saúde física, mental e emocional. Afinal, a vida é agitada, cheia de curvas, aclives e declives sucessivos. Sendo assim, cuidar da saúde é primordial – com saúde vivemos bem e, consequentemente, estamos preparados para toda e qualquer situação.

Enxaqueca incapacita? – Sim ou Claro?

Normalmente, quem não sofre dessa doença neurológica tende a não imaginar o quanto essa situação pode ser incapacitante. Já que, nesse caso, o impacto social, econômico e emocional é inevitável; tanto para o portador, como para quem está ao redor.

Imagine só, você sentir por dias consecutivos uma dor intensa… Neste caso, como você acha que o seu corpo, seu emocional e seu mental responderia à isso? Pois bem, e não é pra menos. Dores crônicas ou mesmo atípicas podem tornar o nosso dia a dia complicado e possivelmente dificultar até as tarefas mais simples.

A OMS (Organização Mundial de Saúde) considerou e incluiu a enxaqueca, como uma das enfermidades mais incapacitantes no rol de doenças. Saiba mais nesse manual da enxaqueca, como identificar, combater e evitar possíveis crises.

Como fica a qualidade de vida?

A capacidade de se concentrar em meio a dor é quase impossível. Exige força,  extrema vontade própria e equilíbrio emocional. Ou seja, ignorar a dor, as distrações, controlar os impulsos e os 30 sintomas que essa patologia compreende, não é pra qualquer um! Por isso, essa doença é tida como uma das patologias com maior grau de incapacidade que existe. Não apenas pela dor, mas por todos os demais sintomas que a enxaqueca compreende.

Todos podem ser extremamente intensos e incômodos. Podendo impedir o indivíduo de exercer qualquer atividade de forma fácil e natural. Segundo o Dr. Alexandre Feldman – a enxaqueca pode literalmente, obrigar uma pessoa a ficar deitada, num quarto escuro, sem barulho, por horas ou dias. Prejudicando e destruindo a qualidade de vida não apenas do portador, como também, de toda sua rede de apoio, entre família e amigos.

E a produtividade?

Diversas pessoas sofrem com essa doença, porque ela é presente e prevalente. São 4x mais comum em mulheres do que em homens. E, por via de regra, se manifesta, infelizmente, durante o período mais produtivo —  dos 20 aos 50 anos de idade. Em consequência disso, é considerada  uma das patologias mais caras que existe. Já que, o custo por não produtividade é muito alto.

Na maior parte dos casos, o indivíduo não consegue prestar atenção nas situações de forma igual. A dor e a quantidade de sintomas, dificulta a concentração para estudar ou desenvolver atividades durante o trabalho. Assim, inevitavelmente, é muito difícil concluir até as mais simples tarefas. O impacto social, econômico, e emocional é grande.

Frequentemente, diversas áreas são afetadas durante uma crise, como a falta de memória, fadiga constante por demandar grande esforço e energia para tentar competir normalmente com os outros, entre outros problemas. Por isso, não existe uma igualdade de competição, em relação às outras pessoas que desempenham o mesmo papel sem dor. É necessário gerar um grande esforço para se equiparar. Por isso, vamos aprender como este manual da enxaqueca, tudo o que precisamos saber.

Você sabia que a qualidade de vida do paciente com enxaqueca se compara ao do paciente com câncer em estágio avançado e AIDS em fase terminal? Contudo, essa doença continua sendo menosprezada e banalizada.

Um compilado de dores

Em função disso, precisamos entender que existem diferentes tipos de crises comportamentais. Essas, por sua vez, são causadas ou pelo excesso de sol, barulho, jejum prolongado, privação de sono, estresse, ansiedade, choro, levantamento de peso, entre outros gatilhos. Nos casos mais graves, surge então as cefaleias crônicas — Dos quais, a pessoa, tem dores que se estendem de horas a dias. E, estando, na condição de crônica, consequentemente, retorna continuadamente por dias, meses e anos.

Logo, essas crises de cefaleia crônica ou atípica, são divididas em três pilares: Dores leves, mediana e por fim, aguda. 

Veja mais informações no manual de enxaqueca, a respeito das crises:

Em primeiro lugar, durante uma crise mais fraca, é possível desempenhar — na medida do possível, até que normalmente os deveres e as rotinas sem nenhum prejuízo. Entretanto, vale frisar que, nenhum ser humano é de ferro, e possivelmente crises diárias podem desencadear mudanças bruscas de humor, como também o aparecimento de outras patologias.

Assim, no decorrer de uma crise moderada, é possível desenvolver as atividades, no entanto, com mais dificuldades. Não é possível realizar as tarefas com a mesma velocidade, concentração com a qual o indivíduo desempenharia num quadro totalmente normal, sem dor. A lentidão, a falta de memória e os inúmeros sintomas, causam interrupções, e prejudicam não só o comportamento nas atividades, como também, os momentos de diversão. Por estar dotado de dores mais severas, neste caso, os sentimentos flutuam em diversas explosões de variados tipos emoção. Esses comportamentos baixos e altos, quando não bem compreendidos ao redor, quase sempre, podem prejudicar até os relacionamentos.

Agora, chegamos por fim, na pior de todas – As dores mais graves e intensas, são aquelas que colocam a pessoa, num estado de total incapacitação. Em outras palavras, é impossível exercer qualquer atividade, seja ela: trabalhar, se divertir ou mesmo socializar. De modo geral, este estado pode por obrigatoriedade, trancar o portador em sua cama por dias. Impossibilitando qualquer tipo de diálogo e ação.

Sendo assim, todas essas, são consideradas crises incapacitantes.

OS TIPOS DE DORES 

De modo geral, a enxaqueca crônica diária, compreende diversos sintomas, que vão além da dor. Como: náuseas, vômitos, sensibilidade a claridade, ao barulho, cheiros fortes; piora com atividades físicas, choro, esforço físico e até abaixar a cabeça, tende a piorar mais. Abaixo, nosso manual da enxaqueca exemplifica algumas situações.

  • A enxaqueca pode ser pulsátil ou latejante.
  • 70% são enxaquecas sem aura e 30% são enxaquecas de aura.
  • Eventualmente, em raras exceções, temos as auras mais graves e profundas

Veja a seguir, no nosso manual da enxaqueca:

Essa crise se dá, ao vício do organismo por abuso de analgésicos. Quase sempre, preferimos nos automedicar, com isso, tomamos sempre diversos remédios. Com o tempo, o próprio corpo começa a produzir alertas em forma de  dor, para forçar a ingestão do analgésico, do qual ele está sentindo falta. Normalmente, essa dor só alivia com o uso do analgésico.

Antes de tudo, nesse caso, a cefaleia tensional é um tipo de dor de cabeça que aparece principalmente em situações de geram estresse. Como também, um aperto na cabeça, desde o uso de uma simples tiara, boné, ou qualquer aperto ou penteado que gere peso na cabeça, vai causar esse tipo de dor. Essa sensibilidade que a cefaleia tensional apresenta, normalmente não inclui os outros sintomas comuns. Entretanto, a dor aparece de leve a moderada.

Conhecida também como a cefaleia do sono, essa síndrome é rara e aparece de forma abrupta durante o sono. Esses episódios noturnos, despertam o doente periodicamente durante o sono, como se fosse um despertador. A pessoa é acordada de madrugada por uma dor de cabeça intensa e contínua. Quase sempre, esse tipo, acomete pessoas com mais de 50 anos. Não vem associada dos outros sintomas, mesmo assim, por ser constante e causar privação de sono, essa cefaleia causa outros impactos.

Essa é definida como uma junção de tudo. É extremamente incapacitante, porque aparece de forma desregrada e contínua. Geralmente, ocorrem sempre do mesmo lado da cabeça, sem pausas, sem intervalos livres de dor. Cada dia vem de uma forma, com dores de moradas a alta — essa cefaleia é uma das mais de 150 tipos de dores de cabeça já constatados. É persistente e a cada dia traz um tipo novo de dor.

Sintomas:

  • Dor de cabeça latejante ou pulsátil
  • Enjoo (náuseas)
  • Vômitos
  • Hipersensibilidade à luz (fotofobia)
  • Hipersensibilidade ao barulho (hiperacusia/fonofobia)
  • Hipersensibilidade aos cheiros (osmofobia)
  • Alterações de humor (agressividade, irritabilidade)
  • Medo, pânico, sensação de estar enlouquecendo
  • Depressão
  • Ansiedade
  • Agitação
  • Tonturas
  • Mudanças de apetite
  • Alterações da atenção, concentração e memória
  • Aura visual, sensorial ou motora
  • Dificuldade para encontrar as palavras (fala embaralhada)
  • Visão de pontos luminosos, como se fossem vagalumes
  • Visão embaçada
  • Visão dupla
  • Cegueira parcial
  • Formigamentos na face e corpo
  • Diarreia
  • Diurese
  • Alterações da pressão arterial
  • Alterações da temperatura do corpo
  • Sudorese
  • Letargia (moleza)
  • Coriza e obstrução nasal (nariz escorrendo e entupido)
  • Edema de face (inchaço no rosto, ao redor dos olhos)
  • Retenção de líquido
  • Sensação de cabeça pesada ou leve
  • Sensação de que algo está caminhando pelo couro cabeludo
  • Sensação de que algo está “escorrendo” pela cabeça
  • Sensação de ouvidos tampados
  • Diminuição da força muscular
  • Desânimo
  • Cansaço excessivo
  • Alterações no sono (insônia ou sonolência)

Vale frisar que, normalmente, todos os exames de sangue, tomografia, ressonâncias, entre outros, são normais. Infelizmente, algumas pessoas acham que esta doença não é válida. Mas essa patologia é legítima, não é porque os exames não não detectam que ela não existe.

O que faz uma dor esporádica se tornar crônica?

É importante lembrar que toda doença tem um início. Ela começa na adolescência aparecer de vez em quando. Um dia aqui e outro lá. Comumente, durante os períodos de  menstruais. Por fim, sem o diagnóstico e tratamento correto, você termina em uma das situações acima com doses diárias de dor e quase sempre, generalizada. Partindo disso, para o aparecimento de dores em diversos outros lugares.

A hipersensibilização, é um fenômeno que acarreta no aparecimento de outras doenças oportunistas. Portanto, é importante cuidar desde o início da enxaqueca. É imprescindível haver esse controle. Sem falar no desenvolvimento de outras tantas possíveis patologias como ansiedade, depressão, etc.

Normalmente, uma pessoa com essa tendência não possui uma só dor, ela possui várias dores crônicas. Além disso, a própria personalidade também pode se tornar um gatilho para dor. Pessoas agitadas, intensas, nervosas e ansiosas, tendem a ajudar a perpetuar as causas de dor.

Qual a causa afinal?

A enxaqueca é um desequilíbrio no cérebro, que se manifesta, ou não, de acordo com a predisposição genética de cada um

Normalmente, os pacientes tendem a achar que a resposta está na comida, nos cheiros, nos hormônios e nem sempre é assim. Quem desenvolve essa doença, provavelmente, possui genética para tal — Salvo, outros tipos de doenças ue abraçam essa patologia. A associação covalente à traumas, estresses, má alimentação, abuso de analgésicos, também pode influenciar.

De qualquer forma, a ciência descobriu que existe uma molécula chamada de CGRP, que é um a proteína que causa a inflamação dos nervos e propriamente a dor. Esse, é um dos principais elementos causadores de dor, nos portadores de cefaleia crônica.

Sobretudo, essa molécula possui níveis e tendências de produção que são ditados geneticamente. A genética de enxaqueca traz muito mais do que somente a enxaqueca, ela traz uma gama de outros elementos, dos quais, a pessoa vai ter apresentar diversas outras sintomologias. Sendo assim, propiciando o aparecimento de muitas dores.

Vale frisar que, essa molécula não está atrelada somente em dores neurais. Logo, se o individuo tem  muito dessas moléculas acumuladas em determinadas regiões do corpo, vai sentir dor aonde houver esse acúmulo.

Quem possui essa molécula geneticamente produzida a mais, pode beber vinho, ser sedentário, ter flutuações hormonais, que nada vai acontecer em relação ao desenvolvimento de enxaqueca. Agora se a pessoa possui essa pré-disposição genética de enxaqueca associada a produção de CGRP, aí sim, tudo isso pode se tornar um grande gatilho, não a causa, e sim, o gatilho para as crises de dor.

Manual da enxaqueca x Gatilhos:

  • Mudanças bruscas de temperatura e umidade
  • Esforço físico excessivo
  • Sons intensos ou barulho excessivo
  • Abuso de medicamentos
  • Dormir muito ou pouco
  • Má alimentação
  • Consumo de açúcar
  • Bebidas alcoólicas
  • Cigarros
  • Menstruação
  • Alterações hormonais
  • Insônia
  • Estresse
  • Ansiedade
  • Choro
  • Ficar muito tempo sem comer
  • Odores ou perfumes intensos
  • Excesso de claridade ou exposição ao sol
  • Ar condicionado
  • Ambientes aglomerados
  • Acordar mais tarde que de costume
  • Saídas da rotina em geral

AURA DE ENXAQUECA

 

A enxaqueca compreende diversos sintomas. Cada crise, por definição, pode durar de horas a dias. A dor latejante ou pulsante na cabeça, costuma ser o sintoma mais dramático. Entretanto, outros sintomas podem incomodar até mais, como é o caso da aura de enxaqueca.

enxaqueca com aura se manifesta por crises de enxaqueca precedidas de sinais visuais, sensoriais, de fala ou motoras. É como se fosse um aviso que antecede a proximidade de uma nova crise de enxaqueca. Esse fenômeno pode perdurar de minutos à horas – nos casos mais graves.

Neste caso, a aura visual é a mais comum. Conhecida como enxaqueca ocular, o paciente enxerga pequenos pontos luminosos (como vagalumes), pontos pretos, pontos cegos, cintilações, manchas coloridas, flashes de luz, visão dupla, embaçada, cegueira parcial ou em raros casos, cegueira total no auge da dor. Além disso, essas alterações visuais acompanham e despertam outros problemas como, hipersensibilidade à luz, macro ou micropsia (também conhecidas como a Síndrome da Alice no País das maravilhas).

Síndrome da Alice:

Nos casos mais raros, esses fenômenos de aura visual, como é o caso da macro e micropsia, que impactam diretamente na percepção em relação ao tamanho dos objetos. A síndrome ganhou o nome e mais conhecimento, a partir do famoso livro Alice no País das Maravilhas de Lewis Carroll. O autor sofria de auras profundas. Assim como Alice, os pacientes com auras profundas visuais vivenciam alterações na percepção das dimensões do ambiente, dos objetos e do próprio corpo, experimentando macro ou micropsia – sensação de estar, maior ou menor em relação ao ambiente.

Essa síndrome é uma alteração é transitória, no entanto, causa diversos impactos em rotinas simples, como subir e descer escadas, passar pelas portas, passar por um corredor, ou olhar para o final dele e não conseguir captar a dimensão propriamente do espaço. Dirigir nem pensar! E não esbarrar em tudo, neste caso, é considerado um milagre!

Em seguida, temos também outros sintomas sensoriais da aura, como sensação de formigamentos, dormências, pressão na cabeça, sensação de agulhamento, confusão mental, fala embaralhada ou dificuldade de encontrar as palavras, fraqueza muscular, boca seca, cansaço, alterações emocionais, entre outros sintomas. Esses sintomas não são eternos e comuns, mas podem persistir ou não depois que a dor de enxaqueca começa.

DICA DE RECEITA #FORA ENXAQUECA:

ÁGUA DE COCO COM GENGIBRE

O chá de gengibre é uma ótima dica para aliviar os incômodos da enxaqueca. Isso por causa de suas propriedades anti-inflamatórias que aliviam as dores.

Juntando este alimento a outros poderosos, servem até de remédios naturais no dia a dia.

Por isso, a dica de hoje é a receita de Água de Coco com Gengibre, que além de ser muito saborosa é 100% natural. É excelente para amenizar a dor de cabeça de quem sofre com enxaqueca. Isso porque a água de coco hidrata, repõe sais minerais e quando entra a função do gengibre, junta sua ação antibacteriana e anti-inflamatória, ajudando a aliviar a dor e a inflamação.

RECEITA →

  • 1 copo de água de coco 
  • 2 fatias de gengibre (a gosto)
  • Bata tudo no liquidificador 
  • Tome imediatamente, para não perder os benefícios dos nutrientes.

RESUMO #MANUAL DE ENXAQUECA:

 

Segundo a Neurologista e Neurolofisiologista Dra. Simone Amorim, é comprovado que as mudanças no estilo de vida, como também o controle sobre os gatilhos, contribui na prevenção das crises de enxaqueca.

diagnóstico correto, juntamente com os esforços de um tratamento direcionado, trazem grandes melhoras no panorama geral das crises de dor. Nesse sentido, é preciso aliar forças à uma alimentação equilibrada, bem como o ajuste do sono, a prática de exercícios físicos, o consumo correto de água, a redução do consumo de açúcar (grande agente inflamador), cigarros, álcool e claro, a busca por apoio profissional para melhorar o controle dos transtornos emocionais. Essas são medidas que cooperam diretamente na redução das frequências e intensidade das crises.

Infelizmente, a enxaqueca é uma doença crônica, ou seja, sem cura. A boa notícia é que existe profissionais que ajudam a tratar e, principalmente, prevenir essa doença.

Portanto, busque ajuda médica especializada, alinhe sua rotina à uma boa alimentação e suplementação e pesquise sobre as possibilidades de tratamento para o seu caso. Como por exemplo, a toxina botulínica para enxaqueca, um procedimento pouco conhecido, pelos pacientes, porém, com grandes resultados de melhora nos casos de enxaqueca.

 

'As aplicações de Toxina Botulínica são feitas com base em uma análise específica para cada tipo de enxaqueca. A substância tem sido eficaz e segura e, se consolida cada vez mais como uma substância ímpar para a melhoria das condições físicas gerais de pacientes com os mais diversos quadros neurológicos, afirma a Dra. Simone Amorim.'' 

DICA VALIOSA #ANOTA AÍ:

MAGNÉSIO E VITAMINA D PARA ENXAQUECA

Especialistas incentivam o uso dos tratamentos naturais para a enxaqueca. Como é o caso do  Magnésio quelato que, definitivamente, é um mineral essencial e necessário para a nossa saúde. Um estudo nos Estados Unidos mostra que a maioria dos enxaquecosos têm deficiência desta substância no organismo.

Logo, o uso do magnésio da Joie ajuda no combate as dores e melhora diversos sintomas como a insônia, ansiedade, concentração, memória, deixa o organismo mais alcalino e de quebra ajuda no controle das emoções. Ele atua diretamente na síntese de serotonina. A serotonina por sua vez, auxilia na regulação do humor, sono, apetite, sensibilidade à dor, enxaqueca, como também, no bom funcionamento da memória e atenção

Assim também, temos a carência de Vitamina D, que por sua vez, torna-se uma possível causa para enxaqueca. Os benefícios ao incorporar essa Vitamina à alimentação são muitos. Sendo assim, a vitamina D possui um papel fundamental para a saúde. Segundo o Dr. Alexandre Feldman, ela contribui para o equilíbrio hormonal, para a saúde do cérebro e do sistema nervoso. Além de influenciar diretamente no aumento da imunidade e até do bom humor.

VEM VER

SAIBA MAIS SOBRE O MAGNÉSIO E SUAS INCRÍVEIS FUNÇÕES CONTRA AS DORES!

Você pode gostar